sábado, 6 de maio de 2017

Chegou a hora



Pessoas como eu que não gostam e têm medo de errar e perder, um dia percebem que chegou finalmente a sua hora de arriscar e andar para a frente. 

Pois bem, ainda que a tristeza me envolva e que as memórias não me sejam de todo indiferentes e que a pena de deixar o mundo dos sonhos seja ainda uma realidade, chegou a hora.

A hora em que perder não é mais um erro e o erro será não dar espaço de entrada a outras vivências.

A arvore secou e não ha mais como voltar para trás. Chegou finalmente a altura de voltar a semear e ver crescer novos rebentos.

As memórias, essas ficarão para sempre. 

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Quase...




Quase quase quase pronta.
Falta só o “quase”.
Essa é a parte mais difícil.
Mas a verdade é que, quando menos se espera o “quase” já foi.
Vale a pena relembrar que não há nada que o tempo não cure, até mesmo o “quase”.